Conto Erótico: Anal com a gata do tinder!

Vai fazer anal? Saiba como estimular o ânus e alcançar o nível máximo do prazer.
1 de agosto de 2021
Se deliciando com bons drinks: Tudo que você precisa saber sobre bebidas de balada.
20 de agosto de 2021

Conto Erótico: Anal com a gata do tinder!

Há algumas semanas, conheci a Paola no aplicativo de encontros TINDER. Uma loirinha gostosa de 23 aninhos, baixinha, de olhos verdes e dona de um corpinho cheio de curvas e delicioso, era o que aparentava nas fotos. Conversamos bastante online, nos conhecemos, mas nunca falamos abertamente sobre sexo. Após dias, chegou à noite de sábado e eu a convidei para sair comigo, ir a um bar e nos conhecer melhor.

Chegando em um barzinho no centro da cidade, escolhi uma mesa mais reservada em um cantinho mais escuro afim de criar um clima mais romântico e reservado. Logo em seguida, ela chegou e percebi que ela não era como nas fotos, era ainda mais bonita e gostosa. Ela usou um decote redondo que deixava os seios grande muito saltados, prendeu os cabelos loiros em um coque alto e usava um batom vermelho irresistível.

Nós bebemos alguns drinks, ficamos quase 2 horas conversando atoa. O papo flui de uma forma contagiante, ela sempre arrumava uma desculpa para tocar os músculos do meu braço, roçar as pernas na minha e se aproximar com aquela boca gostosa. Na hora de irmos embora, meu pau já tava latejando de tanto tesão nela e eu todo nervoso que ela percebesse o quão extasiado eu estava.

Ela me disse que morava perto do bar e me convidou para tomarmos mais umas cervejas no apartamento dela. Só de pensar, já ficava cheio de tesão nela. Chegando no elevador, que era bem apertado, 4 pessoas entraram junto com a gente. Ficamos no fundo do elevador e a Paola ficou na minha frente e por vezes, aquela bunda gostosa e redondinha roçava no meu pau… aquilo tava me deixando maluco. Os demais passageiros desceram, Paola dá um passo à frente, e eu coloco a mão na frente tentando esconder o meu pau duro que tava quase rasgando minha calça. Ela não disse nada, mas é claro que tinha notado e sentido.

Chegando no apto dela, ela se encaminha para a cozinha e volta com 2 cervejas mega gelada e nós continuamos a conversar. Papo vai, papo vem e Paola do nada solta “Eu sei que você ficou bem excitado no elevador”.  Eu respondo com uma certa vergonha “Paola, tua bunda roçou no meu pau várias vezes, não consegui controlar”. Ela chegou bem perto de mim “Eu não to reclamando, eu achei uma delícia.” Aquilo foi tudo que eu precisava ouvir, segurei atrás do pescoço dela, com as mãos entrando pelos cabelos e tasquei um beijo nela.

Paola envolve os braços em meu pescoço e salta para o meu colo, me abraçando também com as pernas e eu caio sentado no sofá. Quando o beijo terminou, nos entreolhamos e rimos. Em seguida, ela me puxou pela mão e me levou até o quarto dela, sem dizer nada.

Entrando no quarto, eu já a abraço por trás, afastando os cabelos, beijando o pescoço dela, mordendo a orelha e as minhas mãos aflitas chegam nos seios dela… Ela empina a bunda, esfrega no meu pau e geme de um jeito eloquente. Ainda de costas para mim, começo a subir a blusa dela para descobrir que ela estava com um sutiã vermelho de renda.       Quando soltei o fecho, senti aqueles seios pesados na minha mão, foi a coisa mais gostosa que já aconteceu comigo. Agora, ela sem blusa e sutiã, ela vira de frente para mim, se afasta e começa a soltar os cabelos enquanto morde os lábios. Abriu o fecho do short e revelou uma calcinha igualmente vermelha toda transparente na frente, ela tirou tudo e ficou só com a calcinha. Meu pau já não se aguentava mais, então eu logo abro minha calça e jogo ela no chão. Minha cueca branca claramente marcava a dureza do meu pau e pelo caminho que o olhar dela seguiu, sei que ela gostou do que viu.

Começamos a nos beijar, minhas mãos alisam seus seios e finalmente chegam na bucetinha dela, já encharcada e pedindo para ser chupada. As mãos dela seguem pelo meu pau ainda coberto pela cueca, mas ela sente que todo o meu tesão deixando sua marca na frente da minha cueca. Em seguida, ela tira fora e segura todo o meu pai na mão e começa a masturbar. Não consegui me controlar e gemi como um louco e quando dou por mim, ela já tá com a boca na cabeça do meu pau, chupando e lambendo como se a vida dela dependesse disso. Ela me joga na cama, sobe por cima de mim e começa a lamber toda a extensão do meu pau, metendo todo ele na boca e se engasgando. Meu tesão já tá nas alturas, eu não consigo mais segurar e aviso que vou gozar, ela não tira a boca e aguarda os jatos quentes que enchem sua boca e continua sugando até eu não ter mais nenhum leite para oferece. Ela engole tudo com uma cara satisfeita.

Ela levanta e monta em cima de mim, começa a me beijar e nossas línguas se entrelaçam, um beijo gostoso e demorado. Eu rapidamente a viro e deixo ela igual uma gatinha na cama de um jeito confortável. Eu começo por aqueles peitos gostosos, eles cabiam na minha mão. Belisco aquele biquinho rosa e ouço ela gemer de tesão, abocanho e sugo seus seios com uma necessidade absurda enquanto ela acaricia meus cabelos. Vou descendo pela barriga dela, mordiscando e lambendo e ela treme e se contorce de tesão.

Descendo um pouco mais, já sinto como as pernas dela, tremulas, estão se abrindo para me receber. Eu começo pela parte interna de suas coxas, mordendo de leve. Paola começa a agarrar meus cabelos e guiar minha cabeça para onde ela realmente desejada ser lambida. Eu não precisei de mais incentivo, encostei de leve a ponta da minha língua naquele grelinho encharcado e sinto ele pulsar. Começo de um jeito devagar enquanto uma mão esta acariciando seus seios e a outra aperta a bunda dela. Passo a chupar a buceta dela com mais força, mais rápido e começo a sentir que o ritmo da respiração dela aumenta. Vejo como ela agarra os lençóis e o que eu queria era que ela me agarrasse daquele jeito. Eu em seguida meto dois dedos naquela buceta quente e ela começa a rebolar neles, me implorando o que eu já sabia que ela ansiava. Quando ela começou a puxa minha cabeça de encontro a sua buceta, eu sabia que ela tava prestes a gozar e tava ansioso por isso, quando ela começou a se contorcer, eu subi rapidamente e com meu pau já duro, meti com toda força naquela buceta quente. Ela soltou um gritinho e começou a rebolar por baixo de mim. Ela aperta a buceta ao redor do meu pai e goza gostoso enquanto as unhas estão cravadas na minha bunda para que eu não me afaste… como se eu quisesse né.

Eu viro rapidamente e deixa ela montada em cima de mim. Ela não satisfeita, fica em pé em cima da cama, se posiciona acima do meu pau e agacha de modo que possa cavalgar no meu pau com os joelhos fora da cama. Caralho, eu podia sentir todo o meu pau dentro dela, pulsando… E ela começa a sentar com mais força e mais força, suas mãos agarram meu pescoço e ela senta como se o mundo fosse acabar. De repente ela sai de cima de mim, encosta os joelhos na cama e começa a esfregar aquela buceta gozadinha no meu pau. Eu a puxo para o meu lado e posiciono para penetrar aquele cuzinho apertado. Começo a esfregar meu pau naquela entradinha e ela solta “quer me comer por trás, né seu gostoso?” Eu só consigo rir, meu pau de encontro aquele cuzinho com baba minha e gozo dela logo começo a penetrá-la por trás. Enquanto faço isso, percebo que ela está se masturbando e fico doido, não consigo controlar mais e só meto meu pau naquele cuzinho. Senti como ela ficou arrepiada e gemeu feito louca. Eu senti toda a potencia do meu pau durante aquela foda. Eu senti coisas como nunca antes, ela gozou de novo e eu não consegui mais segurar meu tesão, soltei toda a minha porra naquele cuzinho gostoso. Ficamos abraçados por 1 ou 2 minutos. Levantamos, fomos tomar um banho juntos, demais mais umazinha e após nos vestimos.

Ela me ofereceu outra cerveja e depois disso, comi ela de quatro no sofá da sala. Toda aquela noite foi repleta de muito tesão e sexo. Foi assim que comi o cuzinho da loirinha gostosa do tinder.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *